Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
1 abril 2017
  Alergias
Texto de Jaime Pina (médico) Texto de Jaime Pina (médico)
A batalha da Primavera

Há medidas simples para evitar alergias.
Tags mais populares
Revista Saúda #18 Consultório

​Os ácaros do pó da casa são os principais responsáveis pelas doenças alérgicas. Embora sejam omnipresentes, a Primavera e o Outono reúnem as condições ideais de temperatura e humidade para a sua multiplicação.

O objectivo de qualquer abordagem de controlo de alergias é evitar, o mais possível, o contacto do doente com os alergénios. Por isso se presta cuidado particular com a casa e, sobretudo, o quarto do doente.


O QUARTO

O ideal é evitar carpetes, tapetes com pêlo, cortinas de tecidos grossos, tapeçarias e bonecos de pano ou peluche. Um pavimento lavável, de linóleo, cerâmica ou madeira envernizada, reduz significativamente a quantidade de ácaros.

Quanto mais objectos existirem, maior a quantidade de pó acumulado. É sempre melhor optar por uma decoração minimalista, retirando todos os objectos não essenciais: brinquedos, discos, livros, entre outros.

A criança pode ler e brincar no quarto, mas os livros e os brinquedos devem ser guardados noutro local. É preferível escolher brinquedos laváveis e limpá-los uma vez por semana.

A ventilação diária do quarto e a aspiração regular com um aspirador de elevada eficiência (a água e com filtros HEPA) são práticas obrigatórias.

Recentemente, apareceram no mercado pequenos esterilizadores do ar que incineram os ácaros e os fungos, reduzindo progressivamente a respectiva concentração.

Um desumidificador do ar pode ser útil em quartos húmidos. Outra zona a merecer particular cuidado são os armários da roupa.


A CAMA

O colchão e as almofadas devem ser de fibras artificiais – evitar penas, lã, sumaúma ou palha. Cobertores de lã e lençóis de flanela de lã são totalmente desaconselhados. Deve-se optar pelo edredão sintético e por lençóis de algodão.

Deve-se cobrir o colchão e as almofadas com coberturas antiácaros, que funcionam

como uma barreira entre os ácaros e o doente, e aspirá-los com regularidade.

A roupa da cama deve ser lavada uma vez por semana a 60º e, se possível, estendida ao sol – o sol elimina os ácaros. Também os cobertores eléctricos, ao diminuírem a humidade na cama, são, a longo prazo, uma boa arma na luta contra os ácaros.

Nos últimos anos, tem-se desenvolvido produtos químicos acaricidas que, usados com regularidade (um a dois meses) no colchão e nos tapetes, diminuem a quantidade de ácaros existentes.

Estas medidas de controlo ambiental na casa e, em especial, no quarto do doente alérgico, são a base do tratamento e traduzir-se-ão num melhor controlo da doença.

Notícias relacionadas
Links relacionados