Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
17 setembro 2016
  Saúde
Texto de Carina Machado Texto de Carina Machado
21km de vento no rosto
Mafalda Ribeiro está a preparar-se para a meia-maratona de Barcelona. A osteogénese imperfeita não a impede de correr.​

Começou com uma mini-maratona em Lisboa. Conta que sempre sonhara sentir «a impossível» sensação da velocidade e do vento a bater-lhe na cara. Fê-lo com um amigo. Inspiraram-se no filme “Com todas as nossas forças”, do realizador Nils Tavernier, baseado na história verídica de um pai que completa com o filho de 17 anos, com paralisia cerebral e confinado a uma cadeira de rodas, a mais dura das competições desportivas, conhecida por Ironman (homem de ferro). «Incitei o Jaume, a brincar, e a resposta apanhou-me totalmente de surpresa, porque não foi um não. Foi um muito sério: “Nem penses, nado pessimamente. Quanto muito, uma corrida”». 

Assim se lançaram na busca de uma prova adequada e de apoios para adquirir uma cadeira adaptada. Escolheram uma corrida de 10km em Lisboa e começaram a treinar. Logo aí Mafalda percebeu algo extraordinário: «O Jaume corria e empurrava a minha cadeira, mas quem tinha cãibras nas pernas era eu!». A cabeça humana, assevera, é uma coisa fantástica, porque depois dos treinos sentia-se sempre mais leve, melhor das suas «dorzinhas». Tudo psicossomático. 


Mas Mafalda sabe que pisou o risco. Sabe que, dada a sua fragilidade, bastava a trepidação provocada pela calçada para sofrer fracturas ósseas. «É preciso confiar absolutamente em quem nos conduz e ter uma noção profunda de que, na vida, precisamos mesmo uns dos outros». Por isso, quando cortou a meta, a primeira coisa que fez foi agradecer a Jaume. «E ele a primeira coisa que me disse foi: “Não percebeste mesmo nada! Não fui eu que te empurrei, foste tu que me puxaste”». 

A experiência deu frutos: dela nasceu o projecto “Se não podes andar, corre”, uma palestra motivacional dirigida à população em idade escolar onde o Jaume também participa. 

Entretanto, a dupla encontra-se já a preparar a participação na meia-maratona de Barcelona, em Fevereiro do próximo ano. Jaume já está no ginásio. Frequentam os dois o nutricionista. Logo que a nova cadeira esteja pronta, os passeios ribeirinhos voltarão a lembrar-se do seu ritmo compassado. Desta feita serão 21km. Mafalda não se deixa parar.​​
Notícias relacionadas