Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
30 novembro 2016
Texto de Rita Leça Fotografia de Ricardo Meireles Fotografia de Ricardo Meireles Texto de Rita Leça
«Não há longe, nem distância»

​​​​​​​​​​​​​​​​Seiscentas pessoas de seis aldeias recebem os medicamentos em casa.

Farmácia Bem Saúde - Bragança

Parada, Paredes, Coelhoso, Babe, Quintanilha e Rebordainhos. Seis aldeias que contam com o apoio da equipa da Farmácia Bem Saúde, de Bragança, para a dispensa de medicamentos. «São pessoas idosas, que vivem sozinhas, com dificuldades de mobilidade e sem o apoio da família. São muito carentes de afecto e de ajuda», explica Eugénia Baptista, directora-técnica da farmácia, para justificar a iniciativa que começou em 2010 e que se repete três vezes por semana. «No dia seguinte à visita médica, vamos às aldeias entregar a medicação aos utentes», diz a farmacêutica, acrescentando que a visita vai além da simples dispensa medicamentosa. «Acabamos por dar apoio em casa, na verificação dos prazos de validade, das condições de armazenamento dos medicamentos, e mesmo na leitura de correspondência, marcação de exames ou envio de requisições de oxigenoterapia».

E é por isso que o tema da proposta ao Prémio João Cordeiro foi: “Não há longe, nem distância”, um projecto de acompanhamento terapêutico, esclarecimento de dúvidas, controlo das tomas diárias e das interacções medicamentosas.

Por estar confiante na eficácia do projecto, a Farmácia Bem Saúde está disposta a alargar o leque de aldeias que beneficiam do seu apoio, considerando que esta é uma actividade de responsabilidade social. «O nosso trabalho é feito em prol do bem-estar da comunidade. Só assim a nossa existência faz sentido», conclui Eugénia Baptista.

 

Notícias relacionadas